Abram os portões de Valhala! Ou liguem o tanque de oxigênio.

Querem te calcificar, moldar um gesso em você, dar a forma que “precisa” para se “encaixar” em algo totalmente condicionado, porque seu sucesso em ser uma máquina de produção depende disto. O estoque inesgotável de cobrança é apenas um aparato para que se empenhe o máximo possível em buscar perfeição, porém, ela obviamente não existe; mas quem se beneficia com sua dedicação não quer que saiba disso – mas fazem todo o tipo de pressão para que tente alcançar a ansiada e utópica perfeição.
Sinta o pescoço, as vias aéreas, narinas e boca fecharem lentamente: o mundo vai te sufocar! “Abram os portões de Valhala! Estou aqui para enfrentar Thor e Odin! Lá embaixo há muita pressão…”, implorou você desesperado com a falta de ar.
Não me sufoca, porra!
Deixa eu viver a minha vida, do caralho do meu jeito!
Então, pare. Respire todo o ar que puder.
Encha os pulmões várias vezes.
De novo.
Inspire. Expire.
De novo.
Sentiu?
Você não vai sufocar. Então…
Respire sempre, não só durante os intervalos; não existe pausa na vida para decidir entre a escolha do curso, vestibular, emprego, se muda de emprego ou não, as tarefas, casa, família, finanças, enfim, os compromissos e deveres que acontecem todos os dias no seu cotidiano.
Continue respirando!
Respirar é viver.
Aproveite a noite de bebedeira, mas não faça da semana que passou até chegar nesse dia algo maçante e sistemático, como um escravo que se liberta na folga ou fim de semana. Faça amor sem pressa, sem culpa, mesmo que tenha poucas horas para dormir e enfrentar o dia amanhã; o dia sonolento não se compara ao prazer apoteótico que passou noite passada. Pratique um esporte, vá à academia, mas faça contato que isso seja satisfatório para você, não pelo motivo de que a OMS, ou algum estudo de alguma universidade conceituada, informou que caso não se exercite, irá morrer vinte anos mais cedo. Em suma: aproveite o que é bom.
Respire. Respire fundo.
Sentiu?
Você não vai sufocar.
“Então vai lá e faz por onde a gente pode ir bem mais longe!” *. Mas da maneira que mais te satisfazer, sem deixar calcificar num molde imposto, porque você não é uma fratura exposta que precisa ser engessada, e nem vai se machucar por escolher um caminho que não te sufoque. Escolha respirar.
Respire fundo.
Sentiu?

Paz, meus amigos. Paz. ♥

*(Simples Assim – Zander)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s